terça-feira, 21 de abril de 2015






óleo s/tela Emília Matos e Silva ( colecção particular)

Nada

nem o branco fogo do trigo
em as agulhas cravadas na pupila dos pássaros
te dirão a palavra

Não interrogues não perguntes
entre a razão e a turbulência da neve
não há diferença

Não colecciones dejectos o teu destino és tu

Despe-te
não há outro caminho


Eugénio de Andrade, em "Véspera da Água"

sexta-feira, 3 de abril de 2015




pintura a pastel Emília Matos e Silva ( 590mm / 410mm) 80 €

SONETO ANTIGO

Responder a perguntas não respondo. 
Perguntas impossíveis não pergunto. 
Só do que sei de mim aos outros conto:
de mim, atravessada pelo mundo.

Toda a minha experiência, o meu estudo,
sou eu mesma que, em solidão paciente,
recolho do que em mim observo e escuto
muda lição, que ninguém mais entende.

O que sou vale mais do que o meu canto.
Apenas em linguagem vou dizendo
caminhos invisíveis por onde ando. 

Tudo é secreto e de remoto exemplo.
Todos ouvimos, longe, o apelo do Anjo.
E todos somos pura flor de vento.

Cecília Meireles

Memórias de Sintra III conjunto de quatro óleos s/tela  Capela de Sta. Eufémia da Serra de Sintra "Quem pela hera pa...